RO-KIT

Identidade Romena em 50 componentes

de Alex Popescu e Doru Someșan

(Bucareste: Publica, 2015; edição bilíngue romeno-inglês, 120 páginas)

ARGUMENTO

A fonte de inspiração para RO-KIT foi um projeto similar, “idarg”, descoberto por Alexe Popescu em Buenos Aires, em 2009. Ambos tentam apresentar o específico de um país através de um mínimo de meios de expressão. RO-KIT também é o fruto do encontro entre duas pessoas que consideraram igualmente desafiadora a realização de um “concentrado” de Romênia, de uma perspectiva mais pessoal. Os 50 elementos identitários constituem apenas uma das muitas limitações autoimpostas. Poucos, em se tratando de abarcar o todo romeno, mas, em número suficiente ao ponto de oferecer uma imagem representativa da Romênia. O desafio gráfico foi ter de encontrar uma solução expressiva e geométrica para cada símbolo, utilizando a mesma espessura de linha. O literário foi abordar os assuntos de uma maneira concisa. Os 50 elementos do “kit” podem ser, para um romeno ou para um estrangeiro, elementos de construção na formação da sua imagem sobre a Romênia.

 

O ATENEU

 

O Ateneu é o prédio-símbolo da cultura romena. Construído entre 1886-1888, em uma fundação de forma circular de um antigo manejo de cavalos, através de subscrição pública com um slogan que se tornou icônico “Deem um leu para o Ateneu”, esta joia arquitetônica única em Bucareste é um dos palcos do Festival Internacional “George Enescu”, precisamente por causa da acústica especial do prédio. Concebido em nota neoclássica pelo arquiteto francês Albert Galleron, o Ateneu destaca-se pelo seu estilo abertamente eclético. O prédio do Ateneu Romeno tornou-se parte integrante, desde 2007, do Patrimônio Europeu.

 

COZONAC

O cozonac é o bolo nacional por excelência. Seja com noz, semente de papoula, delícia turca ou uva-passa, o cozonac é guloseima onipresente na mesa de qualquer romeno, tanto na Páscoa quanto no Natal. Bem crescido e fofo, o cozonac é o bolo que as mães e avós melhor sabem fazer.

 

DACIA

 

O Dacia 1310 é o símbolo da marca Dacia, a primeira produtora de automóveis da Romênia. Tudo começou em 1968, quando da assinatura de um contrato de licença entre a Renault e o estado romeno, para a reprodução do modelo Renault 12. Ulteriormente, múltiplas variações do modelo de base foram produzidas com o nome Dacia. A aquisição de um automóvel no período comunista era uma verdadeira novela, o pretendente tinha que se inscrever numa longa lista de espera e, não raro, os donos de tais carros se transformavam em verdadeiros mecânicos que consertavam sozinhos qualquer defeito da máquina.

 

O HOMEM E A SACOLA

 

Uma pessoa com uma sacola é uma presença constante nas ruas da Romênia. Como tal contêiner era muito difícil de se conseguir no período comunista, os romenos criaram o hábito de guardar e reutilizar as sacolas: a sacola de 1 leu, a sacola com a sigla Kent, a sacola de ráfia, a sacola de alça de metal ou a sacola de lona feita à mão.

 

A PRIVADA NO QUINTAL

 

A privada do quintal mostra a dimensão profundamente rural da sociedade romena, a Romênia situando-se em primeiro lugar na União Europeia quanto ao número de lares com a privada no quintal. 40% dos romenos estão nesta situação.

 

 

 

 

Deixe uma resposta