SIBIU 825

Do site Digi 24

Documentário Sibiu 825 abre o Astra Film Festival 2017

O filme Sibiu 825, dirigido por Dumitru Budrala, estreia hoje, 16 de outubro, às 19:00, na gala de abertura do Astra Film Festival 2017.

 

Que início melhor para a volta ao mundo cinematográfica do programa Astra Film Festival 2017, do que a crônica da própria cidade aonde o festival nasceu? O documentário é uma crônica histórica de Sibiu, que avança no tempo, radiografando os períodos de crescimento e as etapas de atribulação pelas quais passou a cidade banhada pelo rio Cibin, desde os primórdios até o presente, ao longo dos seus quase nove séculos de existência.

Momentos inéditos da história desta cidade-burgo da Transilvânia são retratados em 26 minutos intensos: os assédios que puseram à prova a própria existência da cidade, a epidemia de peste negra, a decapitação de Johann Sachs von Harteneck na Praça Maior, ex-prefeito de Sibiu, mandatário dos saxões da Transilvânia e governador regente, mas também os efeitos do iluminismo e das reformas josefinas da época dos Habsburgos. A música original do filme foi composta pela organista da Igreja Evangélica de Sibiu, Brita Flach Leutert, e tem em sua base o tema de um cântico, descoberto em uma partitura de um livro eclesiástico do século XIII. As tomadas aéreas das montanhas que cercam a cidade, dos vilarejos pitorescos das zonas do vale, das igrejas fortificadas, para onde todos os aldeões acudiam no caso de um ataque, imagens com ruazinhas elegantes da cidade alta, os sótãos das casas com seus canais de ventilação que mais parecem olhos ancestrais em eterna vigília, se harmonizam perfeitamente com fragmentos de música clássica e com a história narrada da cidade, construindo assim uma experiência cinematográfica, um pedacinho da história de Sibiu.

Não dá para o filme cobrir toda a história de 825 anos da cidade em apenas 26 minutos. Com ele pretendemos despertar o interesse das pessoas pela rica história desse espaço urbano maravilhoso, que se conservou ao longo de séculos e que tanto amamos e valorizamos. Já é tempo de ser descoberto e conhecido por todos nós!” declarou Dumitru Budrala, diretor do filme.

” Passaram-se oitocentos e vinte cinco anos. As velhas torres e bastiões já não têm mais o papel de defensores da cidadela. Atualmente, são símbolos do encanto medieval. Em sua história, a cidade passou por muitos episódios atrozes. E sobreviveu a todos eles. E a cada nova reerguida, a cidade fez-se mais próspera do que antes. Sempre progredindo junto com a história. E, por vezes, colocando-se mesmo à frente dos tempos.  “

Deixe uma resposta